This is an example of a HTML caption with a link.
Posted by : Matheus Paulino 27/08/2014

Ser tatuada nos dias de hoje é fácil, mas já se perguntou como seria a vida de pessoas tatuadas no final do século XIX? Então, pare e ainda acrescente mais um porém: e se elas fossem mulheres?
No começo do século XIX e até a metade do século XX, as tatuagens ainda não eram algo popular como hoje em dia. Elas eram consideradas algo tão diferente que as pessoas até pagavam para ver tatuados, nos famosos freak shows. E foi nestes mesmos eventos que as primeiras mulheres tatuadas e tatuadoras ficaram famosas. Conheça quem são elas e como foi a história de suas vidas.
NORA HILDEBRANDT
Não se sabe bem ao certo quando Nora veio ao mundo, mas acredita-se que por volta de 1850 nascia a primeira mulher tatuada a se apresentar nos Estados Unidos. O tatuador de Nora era ninguém menos do que o seu próprio pai, que se mudou para Nova York no ano de 1846.

Foi lá que a família começou a fazer apresentações em museus e feiras freaks, no ano de 1882. Na época, Nora já tinha mais de 365 tattoos, algumas feitas por seu pai durante as apresentações. Em seus últimos anos de vida, excursionou num circo. Faleceu em1893.


EMMA DE BURGH

Emma foi a musa de Samuel O’Reilly, o inventor da máquina elétrica de tatuar. Com inúmeras tatuagens com temas patrióticos e religiosos, a beldade sobreviveu de apresentações na Europa, durante o fim do século XIX, junto com seu marido Frank.



BETTY BROADBENT
Conhecida como a freak mais bela do mundo, Betty foi apresentada ao mundo das tatuagens pelo tatuador Jack Red Cloud. Durante toda sua vida, Betty colecionou mais de 350 tattoos espalhadas pelo corpo, muitos delas feitas por tatuadores renomados da década de 30. Durante a New York World’s Fair, em 1939, Betty foi a principal atração. Buscando seus objetivos pessoais, afastou-se do showbiz em 1967 e virou tatuadora profissional.


JEAN FURELLA

Já ouviu falar na mulher barbada? Era a Jean Furella! A moça trabalhava em um circo como mulher barbada, até que se apaixonou por um homem que, por razões estéticas, pediu para que Jean ~fizesse a barba~. A maneira que Jean encontrou para continuar vivendo no circo foi tatuar o seu corpo.



Contribuiu com essa publicação: Aruanda Viais (Obrigado pela dica, minha querida)
Fonte: http://divando.pop.com.br/ PARABÉNS PELA MATÉRIA, PESSOAL!

Deixe Seu Comentário

Subscribe to Posts | Subscribe to Comments

- Copyright © MEDÁ CAFÉ - Hatsune Miku - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -