This is an example of a HTML caption with a link.
Posted by : Matheus Paulino 23/11/2013


Na cultura mexicana, o Dia dos Mortos é comemorado festivamente, com o uso de caveiras enfeitadas e a confecção das famosas caveiras de açúcar (“sugar skulls“), para lembrar as pessoas que já morreram. Outra tradição que pode ser vista por estrangeiros como macabra é o culto a uma das santas pagãs mais populares do México, a Santa Muerte ou, em português, Santa Morte.  Oficialmente, os fiéis elegeram o 15 de agosto como seu dia.
Geralmente, a santa carrega uma foice para ceifar as almas, com um relógio de areia, simbolizando a passagem do tempo a brevidade da vida, e o mundo em suas mãos. Usando um manto de cetim, é dito que ela traz proteção e saúde a entes queridos e, não sendo oficialmente reconhecida pela igreja católica, tornou-se uma espécie de padroeira de criminosos como traficantes ou membros de gangues. Seu culto era, até recentemente, clandestino, mas nos últimos dez anos a veneração se tornou pública, mostrando o quão conhecida está a tradição principalmente entre as classes mais baixas e marginalizadas do México. Conquistando cada vez mais fiéis, a Santa Morte é também venerada pelas comunidades de imigrantes latinos dos Estados Unidos.
As cores que usa dependem da intenção do fiel, podendo ser o vermelho para o amor, o verde ou o dourado para o sucesso financeiro e assim por diante. A ela são feitos também pedidos de vingança ou de morte de outras pessoas. Sua face pode ser coberta por um véu, para ocultar o destino que todos carregamos em nosso próprio rosto, por baixo de nossas peles.
A história da “santa da morte” vem dos tempos pré-hispânicos, quando eram adoradas divindades da cultura asteca como Mictecancuhtli e Mictecacihuatl, deus e deusa da morte, respectivamente. A esses deuses, foram confiados os mortos, para que facilitassem seu caminho pós-vida até a região dos mortos ou ao inferno. A morte é descrita como uma encarnação de um poder enviado por Deus, necessário para a vida.
A santa é também conhecida como La Flaca, FlaquitaLa Niña Blanca, La Comadre, La Bonita, La Señora ou Chiquita, nomes que são usados devido à crença de que a santa prefere não ser chamada por seu nome próprio, mas que aprecia quando se referem a ela com apelidos carinhosos. Seu culto é acompanhado com velas e medalhas dedicados à sua figura. Seus santuários são também decorados com rosas vermelhas, cigarros e garrafas de tequila. As oferendas são também variadas, incluindo rosas, maconha, cigarros ou charutos, frutas, doces e bebidas.
Santa Muerte teria aparecido em Hidalgo, em 1965. Sua história está enraizada nos estados do México, Guerrero, Veracruz, Tamaulipas, Campeche, Morelos e no Distrito Federal, no bairro de Tepito, centro da capital mexicana,  é comumente usada por criminosos ou comerciantes. Também em Nuevo , Chihuahua e Tamaulipas, La Santa Muerte se tornou um rito que é fruto de sincretizações religiosas, carregando uma balança (como a de São Miguel) ou vestindo um manto vermelho e uma coroa dourada, como a Virgem Maria. Apesar do repúdio mostrado pela igreja católica romana, algumas paróquias aceitam e integram a santa, em função do grande número de seguidores, alçando-a ao mesmo nível da Virgem de Guadalupe.

- Copyright © MEDÁ CAFÉ - Hatsune Miku - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -